28 de Outubro, 2021 / Cultura DBPV

Vamos falar de cultura?

Voltar

Bruno Vieira
Sócio-fundador e CCO


Propósito, pessoas, reciprocidade e erros.
A cultura de uma empresa deve ser verdadeira para se sustentar, por isso ela não pode (e nem deve) ser criada em um brainstorming.

Vamos falar de cultura? Vamos falar de cultura?

Eu sempre acreditei loucamente que pessoas boas atraem pessoas boas e que, se não fosse para ser um agente de transformação, eu nem sairia do conforto do meu cargo de diretor de criação para empreender.

Fácil? Nunca foi. E ainda não é. 

Comecei em uma quitinete, com um pc, uma mesa, uma cadeira e vários pessimistas no meu ouvido dizendo que era melhor eu pensar mais antes de começar esse negócio.
Quando eu olhava para o lado, via algumas agências com estruturas, alguns colaboradores, e eu só pensava no seguinte: "eu não tenho o que eles têm, mas eles também não têm o que eu tenho".

O que eu tinha? Tesão por fazer acontecer, paixão pelo negócio, muita resiliência e visão.

Pessoas boas atraem pessoas boas

Conheci o Edmar Prigol quando trabalhamos juntos por um tempo em uma house. E ele também era um agente de transformação! Passaram-se alguns meses que eu tinha saído para abrir a DBPV e, em um belo dia, ele me liga, me chama para um almoço e, sem meias palavras, diz: "não aguento mais aquele inferno". Em uma semana, acertamos e ele veio para a DBPV. Depois de um ano, se tornou meu sócio, amigo e irmão. Assim como ele, um monte de gente incrível veio também.

 

"Acredito que todos, sem exceção, fizeram a DBPV ser o que é hoje. Pessoas nos ensinam, principalmente, a amar sem esperar nada em troca.
Somos tão diferentes uns dos outros e acredito que é isso que nos torna fodas."
 

Foi pro papel 

Depois de anos guiados por muita vontade, paixão, resiliência, choros, alegrias, erros e acertos, resolvemos colocar no papel quem realmente somos.
Esses valores já estavam presentes quando comecei na quitinete e quando o Ed me chamou para o almoço indignado com o sistema tradicional.

Então, depois de dez anos de agência, reunimos tudo que somos e fazemos para criar a cultura DBPV. Não só colocamos no papel, como investimos diariamente para que seja uma cultura percebida e vivida todos os dias, por todos nós.

 

"Não fizemos um brainstorming para definir o nosso propósito. Ele sempre esteve conosco e o deixamos visível para todos."
 
 

Cultura DBPV

A cultura come a estratégia no café da manhã.
Peter Drucker

 

Propósito 
Servir, nos relacionarmos, sermos agentes de transformação e influenciadores de uma cultura de aprendizado constante, assumindo desafios para irmos mais longe sempre.

Proposta de mercado 
Resolver problemas de forma criativa, através de projetos de comunicação que criem conexões entre as marcas e seu público, para gerar resultados impactantes.

Como fazemos 
Pensamos em cada cliente de forma única: seu core business, metas, adversidades e comportamento do seu cluster.

 

Valores

1 - Valor - Não somos uma commodity. Nós entregamos valor para nossos clientes e não temos uma tabela de preço. Geramos oportunidades que transformam negócios.

2 - Excelência - Não abrimos mão de excelência em todas as entregas, das mais simples às mais complexas. Não sabemos fazer de outro modo. Go big or go home.

3 - Resistência - Queremos ser a resistência: à falta de criatividade, de profissionalismo, ao trabalho não reconhecido, à falta de respeito, ao medíocre e a tudo que leva nosso trabalho a ser desvalorizado.

4 - Pessoas - Não contratamos por pressão ou influência de outros. Contratamos pessoas boas no que fazem. Todos passam pelo mesmo processo de contração.

5 - Não enterramos nossos talentos - Temos a mente livre para dizer não quando necessário. O nosso tempo e a nossa criatividade são valiosos para entregarmos projetos em terrenos que não são férteis.

6 - Proatividade - "Peça desculpas, mas não peça licença." Incentivamos as pessoas a proporem e saírem da zona de conforto. O erro não nos incomoda, o que nos incomoda é não tentar.

7 - Errar faz parte - Quando nos pedem para andar uma milha, andamos duas e não temos medo de propor o melhor caminho aos nossos clientes. Estamos aqui para entregar o que as marcas precisam e não apenas o que elas querem.

8 - Transparência e feedback constante - Temos uma gestão 100% transparente e acreditamos que o feedback nos torna pessoas melhores todos os dias.

9 - Vivemos a lei da reciprocidade - Somos ambiciosos e temos sede de reconhecimento. Não queremos nada que não seja justo e merecedor. Sabemos reconhecer as entregas das pessoas.

10 - Liberdade de expressão - As pessoas devem expor suas opiniões sobre qualquer assunto sem serem perseguidas por isso. Não concordar com alguém não te dá o direito de faltar com respeito ao próximo.

11 - Descomplicar - Mudamos processos para priorizar uma entrega fluida, leve e impactante. Não temos nada fixo na pedra e estamos sempre preparados para mudar para melhor.

12 - Diversão - A diversão faz parte do processo. E amamos uma festa.

 

Livro sagrado

Nossa cultura é nosso livro sagrado e quando temos dúvidas sobre algo, nos voltamos para ele. Não poupamos energia, tempo e dinheiro para manter essa chama viva.
Sabemos que algumas empresas maquiam, escrevem frases de impacto na parede, dão kits lindos na entrada para os colaboradores, mas que, no dia a dia, agem de forma bem diferente.
Por isso, o tempo todo deixamos claro que somos imperfeitos, mas que nunca iremos permanecer no mesmo erro. Nos permitimos errar em busca de fazer melhor.

 

"Acreditamos em feedbacks constantes. Na DBPV não resolvemos nada falando mal de alguém do time na mesa de bar. Resolvemos entre nós de forma madura e transparente."
 
 

Não só falamos. Fazemos.

Foi sempre assim? Como falei, somos imperfeitos. Erramos muito por causa da nossa vontade de fazer e, durante esse processo, tivemos erros imaturos. Mas investimos tempo e dinheiro para sermos líderes melhores e não criarmos expectativas em momentos que não são propícios.
Depois da entrada do nosso Diretor Financeiro,  Marcos Giardin, demos início a um planejamento incrível e de reciprocidade para trilharmos um caminho de prosperidade para todos.

Hoje, a DBPV investe, em média, 15% do seu faturamento bruto mensal em sua cultura. E não vamos parar.

Se você não investe tempo e dinheiro em pessoas, tenha certeza de que terá um negócio medíocre.

 

"Eu não tenho medo de morrer. Eu tenho medo de não tentar."
Jay Z

Compartilhe

Voltar para o Topo